14 novembro 2011

Desafio Literário 2012




Pensei muito em não participar do DL no ano que vem (pra quem não conhece, dá uma passada ). Vai ser um ano cheio, etc. E eu nem completei o desafio esse ano, por causa do vestibular e da necessidade de estudar um pouco (se bem que tenho uma resenha pronta e ainda não-postada para dezembro).

Mudei de idéia.

2010 foi um ano bem complicado. Gente importante indo embora, eu ficando no mesmo lugar, muitos projetos frustrados e complicações econômicas (leia-se, calote). Eu estava desmotivado, fazendo as mesmas coisas, me sentindo andando em círculos. E eu não estava escrevendo. Nem no blog.

Acredito que a gente mantém nossos padrões básicos de comportamento nas diversas áreas de nossa vida. E que esses padrões podem ser “exportados”. Ou seja, se eu mudar um comportamento pequeno posso implantar esse novo padrão em outras áreas. É como se eu reconfigurasse minha programação básica, e essa mudança fosse atualizada para os diversos aplicativos.

(evitei usar reconfigurasse meu mainframe na metáfora anterior pq minha falta de conhecimento técnico quase garantiria que eu estaria fodendo com a metáfora em algum nível. Acho que ela continuou tecnicamente imprecisa, mas vcs entenderam de todo jeito. Eu espero).

Eu acredito também que 90% do que a gente chama de motivação, capacidade de realização ou mesmo criatividade na verdade é disciplina. E eu precisava urgentemente de alguma disciplina na minha vida.

Em novembro do ano passado acabei topando, numa andança virtual, com a proposta do Desafio Literário 2011. Achei que era uma oportunidade de criar disciplina a partir de algo que eu gosto (ler), além de me forçar a voltar a escrever, nem que fosse três vezes ao mês.

Me rendendo a uma dessas frases motivational/inspirational bregas (Existem verdades bregas. As verdades não deixam de sê-lo por serem bregas): Direção é mais importante que velocidade.

2011 foi um ano bom. Não excepcional, mas muito bom. Implementei mudanças em diversas áreas, algumas com resultados mais impactantes, outras com resultados mais discretos.

E voltei a escrever no blog. Sinceramente, 2011 não foi minha melhor safra literária (exceção para algumas resenhas para o DL das quais realmente gostei). Mas não importa. Retomar isso aqui é bom demais pra mim. E, claro, tem um post de uns nove meses atrás que corre o risco de ser a coisa mais importante que escrevi na minha vida.

E, agora eu sendo brega, tudo começou de alguma forma com o DL.

Por isso vou prestigiar a edição 2012.

Essa longa (e totalmente desnecessária) introdução é o tipo de coisa que eu me pergunto depois de escrever: e pq cacete alguém quer saber isso?!

Mas agora já escrevi, fica assim. Segue minha lista para 2012, com os onipresentes comentários:

Janeiro – Literatura Gastronômica
Minha primeira reação ao tema foi WHAT THE FUCK?! – mas depois do mínimo de pesquisa, acho que corre o risco de ser um dos meses mais divertidos.
Unhas, Dentes & Cuca – Alex Atala e Carlos Alberto Dória
A Sopa de Kafka – Mark Crick
Wine People – Stephen Brook

Fevereiro – Nome Próprio
Ulisses – James Joyce Aproveitando para adiantar o #58 daqui
Anna Karenina – Tolstoi Provavelmente não vou ler esse não, já tem o Ulisses que é um monstro. Por outro lado, se eu não ler agora pode ser que acabe sem nunca ler esse negócio.
Paula – Isabel Allende
Marina – Carlos Ruiz Záfon
Coraline – Neil Gaiman

Março – Serial Killer
As Esganadas – Jô Soares
Dexter, a mão esquerda de Deus – Jeff Lindsay
Abril Vermelho – Santiago Roncaglioglo
Eu Mato – Giorgio Faletti

Abril – Escritor Oriental
Os Filhos da Meia Noite – Salman Rushdie
Musashi – Eiji Yoshikawa
Teatro dos Lírios – Lulu Wang

Maio – Fatos Históricos
Pelo que entendi das regras do DL basta que haja fatos históricos relevantes na trama, talvez como pano de fundo. Aproveitei pra por uns daqueles que estão a séculos na lista de livros por ler.
As Vinhas da Ira – John Steinbeck
Os Borgias – Mario Puzzo
O Vermelho e O Negro - Stendhal

Junho – Viagem no Tempo
Matadouro 5 – Kurt Vonnegut
O Fim da Eternidade – Isaac Asimov
How to Live Safely in a Science Fictional Universe – Charles Yu Pq eu escolho livros sem edição em português?

Julho – Prêmio Jabuti
Manual da Paixão Solitária – Moacyr Scliar Alguém decide fazer um romance sobre um debate acadêmico a respeito da história de Onan e ainda ganha um prêmio por isso? Precisa ser conferido.
Viva o Povo Brasileiro - João Ubaldo Ribeiro
O Menino que Vendia Palavras - Ignácio de Loyola Brandão Você assiste Ignácio uma vez na vida em uma palestra e vai ler tudo dele que cair na sua mão, pra sempre. Em tempo: ele não dirige. Assim como o Paulo Henrique Amorim. Há uma corrente filosófica que atesta que as pessoas realmente evoluídas, sagazes e geniais não dirigem. #fato.

Agosto – Terror
Aproveitando para adiantar o #99 daqui
The Doll Who Ate His Mother – Ramsey Campbell
Something Wicked This Way Come – Ray Bradbury
The Incredible Shrinking Man – Richard Matheson

Setembro – Mitologia Universal
Não estou 100% certo de que quero ler “a criança roubada”. Se alguém tiver alguma sugestão pra esse tema, tem de ser um romance fortemente inspirado/baseado em alguma mitologia, me avisa aí.
Macunaíma – Mário de Andrade
A Pirâmide Vermelha – Rick Riordan
A Criança Roubada – Keith Donohue

Outubro – Graphic Novel
Lost Girls – Alan Moore
Maus – Art Spiegelman
Persépolis – Marjane Satrapi

Novembro – Escritor Africano
A arma da casa – Nadine Gordimer Ou qualquer outro livro dela, essa guria manda MUITO bem.
O Vendedor de passados – de José Eduardo Agualusa
Desonra – de J. M. Coetzee

Dezembro – Poesia
Poema Sujo – Ferreira Gullart
Poemas Escolhidos – Gregório de Matos
Melhores Poemas de Manuel Bandeira




5 comentários:

Deba disse...

"How to Live Safely in a Science Fictional Universe – Charles Yu Pq eu escolho livros sem edição em português?"

Simples!
Porque vc tem uma amiga que conhece alguém que pode trazer esse livro pra Recife no começo de dezembro...

;)

Palavras Vagabundas disse...

Gostei da lista, divirta-se! Eu trocaria Ulisses por Anna Karenina, rapidinho! O primeiro não passei da página 20 ou 30 e o segundo já li duas vezes.
Boa sorte no desafio, o ano que vem não vai dá para eu participar.
abs
Jussara

luciana disse...

tu não quer ler Anna Karienina (800 p), mas vai ler musashi que tem 1800?
Isso é que é coragem.

Como já li o primeiro e estou lendo o segundo (minha honra depende de ler esse) posso dizer que vc vai gostar dos dois, mas eu amo a Anna.

Ana Virgínia disse...

Legal sua lista.

Ainda estou montando a minha.

Tomara que consigamos completar o desafio.

um abraço


borboletar2.blogspot.com

filhadejose.blogspot.com

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Estou muito curiosa sobre o livro de Nadine Gordimer e ja' andei lendo sobre Agualusa, tambem parece prometer!!! Adorei sua lista. Feliz 2012 e boas leituras.