28 fevereiro 2011

Poemas e Cartas a um Jovem Poeta - Desafio Literário 2011




 
Rainer Maria Rilke me tomou de assalto. Não falo dos poemas, mas das cartas. A leitura da primeira, literalmente, me tirou o fôlego. Como Rilke revela no livro


 
"quase tudo que sucede é inexprimível e ocorre num espaço que a palavra jamais alcançou. Nada mais difícil que definir uma obra de arte"


A leitura de Rilke acalenta, aliena, abandona e aconchega. Tudo de uma vez só. E ainda estou na primeira letra do alfabeto.

Ele vê a vida de maneira sacrificial, onde dor e solidão devem ser acolhidas pois são nossas constituintes.

E o prazer deve ser intenso e vivido como tal - e não como fuga de si.

Morte e vida estão entremeadas, são uma única e mesma coisa. E tudo isso exprimido com uma singeleza e simplicidade sem tamanho.

Rilke escreve verdade.


Avaliação: Como um copo de água transbordante para um sedento

3 comentários:

...loucos apontamentos disse...

Sabia que vc ia gostar, tava louco pra ver a avaliação. Saudades.

Vivi disse...

Poucas palavras que demonstram o envolvimento com a obra lida. Deve ser danado de bom. Dica anotada!

Bjs

Mi Müller disse...

Adorei a tua avaliação, não poderia ser mais perfeita. Eu também li Rilke para o desafio e ele passou a figurar entre os melhores livros que já li. É simplesmente fantástico.
estrelinhas coloridas...