18 janeiro 2011

Fábulas de La Fontaine - Desafio Literário 2011



Em uma batalha entre dois dragões bestiais o que tinha cem caudas e uma cabeça sobrepujou a hidra de cem cabeças e uma única cauda. O rouxinol tenta convencer a ave de rapina faminta a não devorá-lo por causa do valor de sua rte - termina no papo do esfomeado. O rato do campo visita seu primo na cidade e chega à conclusão que os luxos não compensam o viver sobressaltado pela ameaça do gato. Um leão velho e enfermo, incapaz de se defender sofre a vingança dos outros bichos que o espancam, mas quando o burro se aproxima o velho felino prefere morrer a ser injuriado por um animal tão tolo.

Li as Fábulas de La Fontaine em uma edição em dois volumes da Landy Editora (nunca tinha ouvido falar dela antes). O projeto gráfico é genial e a seleção das traduções ("por poetas portugueses e brasileiros") é um trabalho ainda melhor. Algumas das fábulas traduzidas têm um ritmo que pedem para serem lidas em voz alta, outras tem a batida de boa literatura de cordel.

Como o próprio La Fontaine diz em uma das fábulas, fábula tem que ter moral. Cada história tem uma "lição de vida". E é a parte da "vida" que me deixou mais atraído pelo material.

Nos nossos tempos contemporâneos pós-modernos politicamente corretos moralmente relativistas e fundamentalmente inconsistentes e incongruentes, La Fontaine é um sopro de bom senso. Bom senso escorre em cada página. O tipo de conselho que meu avô daria, com aquela solidez característica que advém do teste do tempo. Mui diferente dessa papa insossa das discussões éticas pseudo-filosóficas das acadêmicas torres de marfim e dos construtos psico-sócio-teo-diaboaquatrológicos.

Divertido e tremendamente instrutivo.

Avaliação: Caneca de Chocolate Quente 4/5 cheia

3 comentários:

Vivi disse...

Temos poucas fábulas no DL 2011. Obrigada por nos trazer ao conhecimento uma obra que parece ser incrivelmente bela e divertida. Ótima participação!

Abraços

Palavras Vagabundas disse...

Gostei da escolha tradicional, acho que devemos sempre resgatar as fábulas e suas lições.
abs
Jussara

Freya disse...

Estou terminando de ler La Fontaine, estou gostando, mas acho que estou gostando pq li Esopo antes... o estilo de La Fontaine tem uma sonoridade, que vc não consegue ler de boca fechada dentro do ônibus, srsrsrs...

Obrigada por compartilhar

Roberta