26 março 2009

Sedução...



...consiste em levar outra pessoa a fazer exatamente o que ela quer fazer, mas de tal maneira que ela possa se eximir da culpa posteriormente

Calvin



Uma seleção das gotas de sabedoria do Calvin.


Mas antes: você sabia que o nome do Tigre em inglês é Hobbes, por causa do filósofo? (Thomas Hobbes eu acho). E Calvin é de Calvino, aquele da reforma protestante e a grana mostra como Deus te ama aleluia e tal. É uma piada o nome dos dois personagens... essas duas figuras juntas e tal. Não entendeu? Nem eu.




"É difícil ser religioso quando certas pessoas nunca são incineradas por relâmpagos."


"Se a sua adrenalina não estiver bombeando, você não está realmente vivendo."


"Os adultos simplesmente agem como se soubessem o que estão fazendo."


"Um pouco de grossura e desrespeito pode elevar uma interação sem sentido para uma batalha de desejos e adicionar drama a um dia de tédio."

 


"A vida fica bem mais fácil se você mantiver as expectativas de todo mundo baixas."


"Quando se é sério a respeito de se divertir, nunca é muito divertido."


"Nada ajuda um mau humor como espalhá-lo."


"Faça o que tem que fazer e deixe os outros discutirem se é certo ou não. "


"A vida é cheia de surpresas, mas nunca quando você precisa de uma."


"Um piada nunca é tão engraçada na segunda vez que você ouve."


"Se nós não pudéssemos rir das coisas que não fazem sentido, nós não poderíamos reagir a muitas coisas da vida."


"É muito mais divertido culpar as coisas em vez de arrumá-las."


"Se você não praticar esportes, você não têm a mínima chance de fazer comerciais de cerveja."

"Vivendo e não aprendendo... estes somos nós."


"Às vezes eu penso que o sinal mais forte da existência de vida inteligente em outra parte do universo, é que eles nunca entraram em contato conosco."


"Não há nenhum problema tão terrível ao qual você não pode adicionar um pouco de culpa e fazer ele ficar pior."

 


"Os melhores presentes não vêm em caixas."


"Se você faz o trabalho ruim o bastante, às vezes não lhe pedem para fazê-lo novamente."


"Nós estamos tão atarefados olhando com que está a nossa frente, que não temos tempo de aproveitar onde nós estamos."


"Isso é um das coisas notáveis sobre vida. Nunca é tão ruim que não possa piorar."


"Os únicos conhecimentos que eu tenho paciência de aprender são aqueles que não têm uma real aplicação na vida."


"Há uma relação inversa entre o quanto uma coisa é boa para você e o quanto ela é divertida."


"A força para mudar o que eu posso, a inabilidade para aceitar o que eu não posso, e a incapacidade para contar a diferença."


"Você sabe que vai odiar alguma coisa quando não querem lhe dizer o que é."


"O mundo não é justo, eu sei, mas por que ele nunca é injusto a meu favor?"




19 março 2009

Dissertação com Tema Livre


Tenho uma irmã mais nova. Por motivos particulares, isso é estranho. Bem estranho. Seja como for, a guria está no colégio ainda. Sim, ela é BEM mais nova – ha ha. Hoje a criatura (from outer space) chegou tendo que fazer uma redação. Pra ser mais exato, uma dissertação. 

ME AJUDA! ME AJUDA! 

MEAJUDAMEAJUDAMEAJUDAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

¬¬

Por razões completamente alheias ao meu entendimento, resolvi ajudar. Deve ser a fase da lua. Qual o tema? Sobre o que eu quiser! Aqui ela xinga a pobre da professora por ter deixado a redação com tema livre. Típico. Claro que ela também xingaria a pobre da professora se o tema fosse pré-definido. Do mesmo jeito que qualquer estudante, em qualquer lugar e tempo (cdf’s não contam como estudantes, eles são seres estranhos, um misto de bênção e maldição colocados nesse plano por algum demiurgo insano pros pobres educadores poderem se iludir achando que o trabalho deles está sendo eficaz, ao menos um pouco...)

Tá, então escreve sobre algo que você gosta. 

EU NUM GOSTO DE NADAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 

(isso num agudo capaz de competir com escrito nas estrelas, aquele da Tetê). A resposta perfeita para o perfeito adolescente preguiçoso – afinal me ajuda quer dizer em bom português: FAZ PRA MIM? Claro que ela gosta de um zilhão e meio de coisas, como eu não gostaria de sugerir pra ela escrever sobre meninos babacas com motos barulhentas, canções sertanejas que rimam amor com por favor ou algo desse nível, sugeri – Escreve sobre beijo. Beijo? Sim, vc num gosta de beijo? Todo mundo gosta de beijo!

No mundo real não costuma haver trilha sonora, nem peixes cantores pulando numa lagoa sob o luar (como num desenho da Disney), nem pesinhos levantados de mocinhas apaixonadas (até pelos riscos inerentes ao ponto de equilíbrio do casal – facinho facinho os dois se estatelarem no chão por conta de um pesinho), MUITO MENOS acordar alguém com aquele beijo desentupidor de pia (fora de Hollywood ninguém acorda com hálito de enxaguante bucal – fala sério, o príncipe da bela adormecida beijou a moça e virou pro lado pra vomitar! Cem anos de mau hálito?!),  e mesmo a entrega total (de mãos trêmulas, respirações entrecortadas e a incapacidade de abrir os olhos) é bem rara. Ainda assim, beijar – quase sempre – é muito bom.

Quase.  Pq, tipo, beijo pertence aquela categoria de coisas das quais você dificilmente recebe feedback. Pelo menos um que seja honesto. Não é muito polido avaliar o desempenho de quem você beija. - Nossa, como você beija bem! - Pena que não posso dizer o mesmo... Ok, isso não acontece.

Aí os beijoqueiros incompetentes seguem a vida em frente jurando que sacam do lance, e ninguém vai acordá-los de sua pobre ilusão. Coitados. Mas não faz mal, como diria Woody Allen – sobre o sexo, mas que se aplica bem também aos beijos – mesmo quando é ruim é bom. Então eles serão felizes. Razoavelmente.

Voltando ao beijo. Beija-se para ofender, beija-se por educação, graças a Deus beija-se por tesão. Beija-se por respeito, por tradição, por necessidade. Beija-se morrendo de medo da rejeição. Umas duas vezes na vida dá-se um primeiro beijo tendo certeza que é a coisa certa, no momento, com a pessoa certa (e a gente até ouve a música de fundo). Tem os beijos famosos: o de Judas, o beijo dos russos, os de Doisneau, o do marinheiro voltando da segunda guerra. Quando se beija, o corpo todo beija.

Aliás, se o corpo todo não beija, nem é beijo. Beijo que é beijo tem de deixar sem fôlego (take my breath away). Tudo que vale a pena começa, tudo que vale a pena termina, com um beijo.

(Eu esqueci de botar isso no meu texto – vou roubar amanhã. Minha irmã. Três horas depois de começar a redação finalmente terminou e tá lendo isso aqui por cima do meu ombro. Não roubar, roubo é quando vc não vê! É assalto mesmo! ¬¬)