22 julho 2008

Beyond Cronos/Zeitgeist

Esse fim de semana, eu confesso. Li um livro de business (o equivalente na área de trabalho a um livro de auto-ajuda). Mas nem é um livro da moda, nem tá estourando nem nada (o que certamente conta alguns pontos a seu favor).

O livro fornece, basicamente, uma série de insights sobre o tempo e o uso que fazemos dele. E, principalmente, da relação entre nossa consciência/perspectiva e os resultados sobre nossa qualidade de vida (e uso do tempo).

A idéia básica é a mesma de “Poder Além da Vida” (The Way of The Peacefull Warrior) – um filme bem motivacionalzinho também, mas também muito bom.

Lá pras tantas no filme o personagem principal (depois de uma noite insone sobre o capô de um carro, tentando gerar uma idéia que seu ‘guru’ considerasse útil) afirma que “não há momentos comuns ou sem importância – sempre tem algo acontecendo”.

Pra citar uma fonte mais significante: C. S. Lewis (teólogo, filósofo, escritor e meu ídolo) dizia que vivemos na eternidade. Cada momento é único e cada ato e decisão que tomamos hoje permanecerá pelos séculos dos séculos. E por isso não devemos ser levianos com nossa vida.

E mais: tudo que temos é o hoje. O presente é a única dimensão do tempo sobre a qual temos algum controle. E freqüentemente deixamos ele - o presente - escorrer entre os dedos. Pq esquecemos de ESTAR no presente.

Vivemos angustiados com o passado e ansiosos com o futuro. Passamos muito tempo no que foi, no que pode vir a ser e, especialmente, no que-não-pode-mais-vir-a-ser-por-causa-do-que-já-foi-e-que-não-foi-como-queríamos.

Um dos “segredos” (só pra fazer referência indireta a outro produto de consumo da auto-ajuda, já que hoje estou me rendendo a todo este material) de uma existência plena é, sem dúvida, aprendermos a ESTAR no presente. E manter uma relação adequada com o passado e o futuro. Ou seja, APRENDER do passado e AJUDAR A CRIAR o futuro.

Ajudar a criar o futuro fazendo hoje qualquer coisa, por menor que seja, que aumente as probabilidades do futuro que queremos pra nós mesmos vir a se tornar uma realidade concreta.

Aprender do passado mudando nossas ações hoje, para podermos obter um resultado diferente daqueles que tivemos no passado.

Como diz uma frasezinha motivacional muito bacana:

“Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez”

3 comentários:

Nuanda. disse...

nunca mais tinha passado por aqui. =]
de tempos em tempos, também me rendo ao mundo da auto-ajuda... é quase uma ação periódica. Esse filme é aquele que o cara quebra as pernas, tal? acho que já vi =]

...loucos apontamentos disse...

É eu sou o Charlie Brown e vc o outro, definitivamente eu sou o charlie Brown. E o outro apesar de chato, metida, sarcastico, distante e etc... ainda é O amigo...

Anônimo disse...

"Pq esquecemos de ESTAR no presente.
Vivemos angustiados com o passado... Passamos muito tempo no que foi, no que pode vir a ser e, especialmente, no que-não-pode-mais-vir-a-ser-por-causa-do-que-já-foi-e-que-não-foi-como-queríamos."

dica: leia o método fenomenológico existencial. Ele é a base para essas explicações sobre o retorno as coisas mesmas [passado, presente e futuro]. Martin Buber desenvolveu. Husserl quem fundamentou.