20 dezembro 2006

Jingle Bells Pra Vc Tb!


Esse abalo constante de todo o sistema social, essa agitação permanente e essa falta de segurança distinguem essa época de todas as precedentes. Dissolvem-se todas as relações sociais antigas e cristalizadas, com seu cortejo de concepções e idéias secularmente veneradas; as relações que as substituem tornam-se antiquadas antes de se consolidarem. Tudo que era sólido e estável se desmancha no ar, tudo o que era sagrado é profanado e os homens são obrigados finalmente a encarar sem ilusões a sua posição social e as suas relações com os outros homens.(levemente adaptado do manifesto comunista)

O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz. Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste. Porque Tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro. Porque todo calçado que levava o guerreiro no tumulto da batalha, e todo o manto revolvido em sangue, serão queimados, servindo de combustível ao fogo. Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e o seu nome é Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da eternidade, Príncipe da Paz. (recortes de Isaías, cap. 9)




“Como você não há

Ninguém mais consegue me tocar

Por toda eternidade hei de procurar

Mas sei, como você não há”





PS - Feliz natal! =)



18 dezembro 2006

Ode


Louvada seja a Franqueza. O olho-no-olho, o tete-a-tete. E que ela (a Franqueza) nunca seja substituída pela educação, ou pela “sutileza”. Louvados sejam os corações e os olhares francos. Sejam louvados todos os gestos francos. E os lábios francos, ah, esses, sejam louvados mais do que tudo o mais.



"singing sweet songs..." - three little birds




13 dezembro 2006

still personal



Acho que eu não sei lidar adequadamente com as demandas da vida adulta. E o pior é que parece que ninguém ao meu redor sabe também. Essa coisa de ser adulto é muito complicada.


Depois da Curva da Maturidade na Marra (18 aos 22, universidade e contas a pagar) as demandas – uma palavra adulta – para você ser (querendo dizer parecer ser, fingir ser ou ao menos agir como se fosse) que já eram imensas na adolescência se tornam colossais.


Imagem é tudo (sede não é nada). Conta o que você aparenta, não sua “sede”, não o que você precisa.


Não o que você tem sede de fato. É uma realidade mesquinha e quase universal. Pq até se vc quer viver de uma forma diferente, tem as imagens, as normas e as formas pra ser diferente da forma.


Você pode ser um indie, um rebelde, um PIMBA (Pseudo Intelectual Metido a Besta e Anexos – raça que se prolifera nos Centros de Ciências Humanas e de Comunicação e Artes em todas as universidades da nação), um alternativo ou ainda uma garota cultural do burburinho (com um papo gostoso de antropóloga).


Mas seja o que vc for (ou, mais ainda, aparente o que você aparente ser), há regras inabaláveis de imagem. Um alternativo não ouve pagode, um indie não lê Sidney Sheldon e um PIMBA não assiste Bob Esponja.


As relações, incluindo aí as amorosas ou pseudo-amorosas (e também as nem - um - pouco - amorosas - mas - que - envolvem - um - intercurso - esperamos - que - gostoso), são como um jogo. Você não faz o que tem vontade (ou o que precisa), e sim o que marca pontos. Age calculado, pra não assustar, pra não ser excluído, pra não perder espaço, ou influência.


Nem sou idealista nem nada, nem tô dizendo que isso tudo tá errado, vamos mudar tudo, e vive la revolución! Só tô dizendo que é assim. E que jogar cansa. E que eu não sei lidar adequadamente com tudo isso.


=) ;)




"I die... without you..." - rent





02 dezembro 2006

How do you mesure, mesure a year?


"Five hundred twenty-five thousand Six hundred minutes/Five hundred twenty-five thousand Moments so dear/Five hundred twenty-five thousand Six hundred minutes/ How do you measure, measure a year?

How about love? Mesure in love"

A foto é de Doisneau, faleceu esse ano, um dos grandes artistas do século XX

O texto é uma canção do musical "rent" (ouça no link: http://rentmoviesoundtrack.com/)

Livre tradução dos últimos versos acima:
Quinhentos e vinte e cinco mil e seiscentos minutos/Como você mede, mede um ano?/Em amor/

Meça em amor.